George Orwell, A Revolução dos Bichos e a Modernidade.

A revolução dos bichos, George Orwell, Companhia das Letras, 147 paginas.

A revolução dos bichos, George Orwell, Companhia das Letras, 147 paginas.

George Orwell

George Orwell

       Tive meu primeiro contato com a obra de George Orwell recentemente, e o livro que escolhi para me apresentar o autor foi ‘A revolução do Bichos’. Escolhi ‘A revolução dos Bichos’ por vários motivos, primeiro que era um livro consagrado onde varias outras obras e filmes fazem referencias a esse livro,  ele é curto ( não queria começar 1894, vai que eu não goste da escrita do autor ) e ele estava em promoção na Livraria Cultura. 😛

       O livro conta a historia dos animais da Granja Solar, onde um certo dia um dos porcos tem um sonho onde é lhe apresentado o principio do Animalismo, mandamentos que seriam a base de uma sociedade livre dos homens onde os animais teriam o poder. Para que isso acontecesse é necessário um golpe de estado onde os bichos tomariam o poder da Granja Solar e finalmente estariam livre do trabalho pesado e da pouca remuneração. Durante o caminhar da historia vemos que o ideal original do Animalismo vai se deteriorando em favor de beneficiar quem esta no poder, os bichos com a nova ordem trabalham mais e ganham ainda menos ração, mais o discurso de liberdade é o que alimenta na esperança de que um dia tudo vai mudar. Tendo como  lição a famosa frase: “Todos os bichos são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros.” Bom essa é a premissa básica do livro no mais seria spoiler!

Mas algo que me chamou atenção nessa historia, que originalmente era uma critica a ditadura stalinista, foi com a nossa atual condição de trabalho e viver em sociedade na modernidade. Onde o discurso de liberdade e o você que faz o seu caminho está tão em moda. Livre até que a primeira notificação no celular apareça. Temos uma carga de trabalho full time devido as novas tecnologias, quem nuca respondeu um email do trabalho em uma mesa de bar quando se encontrava com os amigos? A liberdade proposta pela tecnologia está sendo nossa maior prisão. E o que me faz querer ler urgentemente 1984!